Agricultura do futuro?

Com projeções bilionárias, melhor uso de insumos e recursos naturais em ambientes controlados, fazendas indoor já despontam como indicador de crescimento tecnológico
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Áudio

Diante dos números divulgados no relatório da norte-americana Market and Markets, consultoria que dimensionou o mercado de tecnologia para agricultura indoor em US$ 14,5 bilhões (R$ 82,64 bilhões) em 2020, o segmento de ambientes controlados terão crescimento de 9,4% ao ano por usar melhor recursos naturais, e chegará ao valor de US$ 24,8 bilhões (R$ 141,34 bilhões) no mundo até 2026.

Segundo o estudo, o melhor uso de insumos e recursos naturais – como terra, água, fertilizantes e defensivos – é um dos principais fatores que impulsiona o crescimento do mercado de tecnologia para ambientes controlados nessa previsão. Estão incluídos na mesma categoria a hidroponia, a aeroponia, as fazendas verticais e outros.

Futuro da Tecnologia

Entre as alternativas tecnológicas, a aeroponia é considerada o futuro da tecnologia de ambientes fechados. Com a disseminação do modelo, estima-se que o segmento de aeropônicos atinja o maior crescimento entre as alternativas de cultivo indoor.

A tecnologia facilita o desenvolvimento mais rápido das plantas, permitindo o cultivo de mais volume em menos tempo do que em condições normais. A técnica também pode ser controlada remotamente ou por temporizadores para a liberação de ar úmido em intervalos regulares.

Além disso, não requer o uso frequente de pesticidas, remoção de ervas daninhas e outros processos de manutenção em comparação com a agricultura convencional.

Rendimento Superior

De acordo com dados do USDA, em 2016, o rendimento médio dos tomates cultivados em hidroponia em estufas foi de até 5 vezes maior do que no modelo tradicional. Pesquisadores afirmam que as fazendas indoor podem aumentar o rendimento geral de colheitas, empilhando camadas adicionais e aumentando a área de cultivo. Segundo eles, as instalações reduzem a utilização da terra em 100 vezes, e o consumo de água em até 95% na média.

O lado financeiro

O investimento inicial da instalação da agricultura interna é mais alto em comparação com a agricultura tradicional. Um dos principais fatores é o custo dos terrenos urbanos, que são superiores ao das terras agrícolas. Além disso, a energia elétrica eleva os custos operacionais para fazendas verticais e estufas. Controlar os ambientes em relação à iluminação, temperatura, polinização e disposição das plantas é crucial para uma fazenda indoor ideal.

Isso leva os produtores a fazerem um alto investimento inicial nos dispositivos e equipamentos. E essa acaba se tornando uma das principais restrições para o mercado de tecnologia de cultivo indoor, segundo os pesquisadores.

Fonte: Market and Markets

Relacionadas

Veja também

Intitulado de SONDA, a nova solução da empresa combate as principais plantas daninhas que afetam a produtividade na lavoura
Surpreendentemente, carnes fecham o mês de setembro com novo recorde na receita cambial proveniente de exportações de carne bovina.
O presidente institucional da Abramilho, Cesario Ramalho, avaliou, em entrevista para o “Valor”, o cenário para safra verão 2021/22.
Entre eles, o etanol como uma das pontes para a nova era da mobilidade sustentável.