ABPA reforça presença na Ásia por representação na China

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) anunciou em novembro a chinesa Linda Chen como nova representante junto ao mercado asiático, especialmente na China.
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
ABPA reforça presença na Ásia por representação na China
Áudio

Tendo como base a capital Pequim, Linda Chen atuará para o fortalecimento das relações do setor de proteína animal do Brasil junto às autoridades governamentais, stakeholders e demais players do mercado chinês – atual principal destino das exportações brasileiras de carne de frango e de carne suína.

Bacharel em matemática e pós-graduada em comércio internacional pela Academia de Ciências Sociais da China, Linda Chen tem passagens por empresas como Coca-Cola Company e a brasileira BRF. Em 2017, liderou o acesso ao mercado e os esforços de desenvolvimento de negócios na China e em outros mercados asiáticos seletivos para as espanholas Campofrio Frescos e Campofrio Food Group.

Recentemente, atuou na Global Foodmate Consulting, uma empresa de consultoria chinesa que assessora empresas e organizações de alimentos em todo o mundo sobre as regulamentações e políticas alimentares chinesas.

“A consolidada experiência de Linda Chen entre a China e o setor de proteína animal de nações exportadoras serão fundamentais para fortalecer nossa posição na Ásia, em nosso objetivo de ampliar a participação brasileira no apoio à segurança alimentar dos mercados da região”, avalia o presidente a ABPA, Ricardo Santin.

Sem titulo 1
Matérias-primas na produção de biodiesel em 2020 (%)

ABPA se posiciona pelo Biodiesel B10

Entidade manifestou a sua preocupação com a política estabelecida pelo Governo Federal com a redução de 23% na mistura de biodiesel – de B13 (13%) para B10 (10%) – ao longo do ano de 2022. A preocupação setorial se relaciona com a potencial redução da oferta de farelo de soja, um derivado do esmagamento da soja em grão direcionada para obtenção de óleo para biodiesel.

Menor oferta do produto poderá significar em alta de preços, gerando perda de competitividade e inflação ainda maior para o consumidor, em meio ao momento de maior alta de custos de insumos da história da avicultura e da suinocultura do Brasil. Cabe ressaltar que o farelo de soja já acumula mais de 60% de elevação nos preços praticados ao longo deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado.

Fonte: ABPA

Fonte: ANP. Elaboração: StoneX.

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Bons números nas exportações da avicultura
A Associação Catarinense de Avicultura (ACAV) anunciou a data do 13º Simpósio de Incubação, Matrizes de Corte e Nutrição, que está programado para o período de 6 a 8 de junho
Elevado preço do milho e do farelo de soja, além do baixo valor pago pelo quilo do suíno ao produtor, desenham um cenário assustador para a suinocultura do MT
As vendas de ovos para o mercado internacional (considerando todos os produtos) totalizaram 11,3 mil toneladas em 2021, informa a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA)