Search
Close this search box.

ABCS, em parceria com instituições parceiras apresentam os avanços do Plano Estratégico Brasil Livre de PSC

16 de maio de 2024

O evento realizado na última quinta-feira (9), apresentou os resultados obtidos durante a Campanha de Vacinação Contra a Peste Suína Clássica em Alagoas
Compartilhe no WhatsApp
ABCS, em parceria com instituições parceiras apresentam os avanços do Plano Estratégico Brasil Livre de PSC

A Peste Suína Clássica (PSC) é uma doença de notificação obrigatória ao Serviço Veterinário Oficial (SVO) e de alto impacto econômico, caracterizada por sua capacidade de disseminação e gravidade, apresentando alto grau de contágio entre os suínos, sem tratamento e cura.  Atualmente, o Brasil está dividido em duas zonas, com 16 estados brasileiros livres da doença, distribuídos em três zonas livres reconhecidas internacionalmente pela Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA), e 11 onde a enfermidade ainda persiste, sendo denominada zona não livre pelo Ministério da Agricultura e Pecuária do Brasil (MAPA). 

Nos últimos seis anos, 87 focos de PSC foram confirmados, causando prejuízos milionários aos estados afetados. Determinados focos ocorreram nos estados do Ceará, Piauí e Alagoas, e todos foram resolvidos devido à rápida atuação do SVO. A doença tem limitado o desenvolvimento da suinocultura nas regiões norte e nordeste do Brasil, e vem impactando a produção local, além de ser um risco potencial de ingresso na Zona Livre, podendo impactar no fechamento de mercados internacionais, afetando todo o segmento nacional.

Em resposta aos focos da doença, o MAPA, em parceria com a iniciativa privada, estruturou o Plano Estratégico Brasil Livre de PSC, que inclui ações para fortalecer a vigilância contra a PSC e o desenvolvimento de um programa de vacinação regionalizado na Zona não Livre, com o objetivo erradicar a PSC no Brasil, reduzindo as perdas diretas e indiretas causadas pela doença e gerando benefícios pelo status sanitário de país livre da doença.

Nesse sentido, o estado de Alagoas foi escolhido para a implementação do plano piloto da campanha de vacinação, devido ao apoio dos parceiros locais, à sua extensão geográfica e ao rebanho de suínos, além da preocupação com o foco da doença registrado em 2019 na região limítrofe com a zona livre de PSC.

Resultados da campanha de vacinação contra a PSC em Alagoas

No estado alagoano, foram realizados avanços significativos na luta contra a PSC. As 5 etapas da campanha de vacinação promoveram a mobilização de equipes de vacinação nos 102 municípios alagoanos, atingindo altas coberturas vacinais nas várias etapas. Ao total, a campanha alcançou mais de 640 mil imunizações contra a PSC entre os anos de 2021 e 2023, levando a vacinação de forma gratuita a mais de 5.500 propriedades rurais, com cerca de 130 mil suínos em média vacinados por etapa da campanha.

Para apresentar os resultados da vacinação em massa, a ABCS, a ABPA, a CNA, IICA, ADEAL e SEAGRI/AL, realizaram o evento “Avanços do Plano Estratégico Brasil Livre de PSC”, na última quinta-feira (9), reunindo autoridades, além de representantes da cadeia suinícola brasileira. Na ocasião, o presidente da ABCS, Marcelo Lopes, elogiou o trabalho do MAPA e de todos que contribuíram para a vitória que representa essa iniciativa.

“Demos um passo muito grande. O quão importante foi essa vacinação, e o quanto valorizou a suinocultura local. Agora é importante ir para outros estados. Temos a perspectiva de ir para o Piauí com a mesma maestria que foi feita em Alagoas e fica o desafio de extinguir a PSC no Brasil e abrir mais portas para as exportações, parabéns a todos!” 

Além de imunizar os animais contra PSC, a campanha de vacinação em Alagoas trouxe ganhos significativos para os produtores de suínos, refletindo em benefícios socioeconômicos, conforme reportado pelos suinocultores locais e explicado peladiretora técnica da ABCS, Charli Ludtke, que esteve à frente de todo o projeto.

“Fizemos questão de criar uma estratégia para que a vacinação chegasse gratuitamente a todos os produtores, inclusive aos pequenos produtores, que totalizam quase 80% das propriedades visitadas, onde os suínos representam a renda da família. Durante a execução do plano piloto entendemos que a saúde animal proporcionou desenvolvimento social para a região e para a população alagoana.” 

As etapas da campanha de vacinação, contaram com um investimento próximo a 7 milhões de reais, e essa ação é um resultado de uma importante parceria público-privada que envolve diversas instituições que representam o setor suinícola, os quais uniram esforços junto ao Governo de Alagoas na defesa da saúde animal e no fortalecimento da suinocultura brasileira. A importância desse trabalho conjunto foi ressaltada pelo Deputado Florentino Veras – coordenador da Bancada Federal do Piauí no Congresso, e pelo Secretário de Defesa Agropecuária do MAPA, Carlos Goulart. 

“Hoje comemoramos o avanço da vacinação contra PSC em Alagoas, e não há como ter avanços significativos na saúde animal sem a participação de órgãos federais, estaduais, da força política, do setor privado e do setor produtivo. É o momento de celebrarmos mutuamente e verificar como podemos expandir essa iniciativa para que possamos tornar o Brasil livre de PSC”, finalizou o Secretário.  

Por ABCS

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

São Paulo enfrenta desafios ainda maiores devido aos altos custos para o setor produtivo do leite e por ser o maior mercado consumidor do país.
Para participar é necessário que a família esteja inscrita no Cadastro Único e viva no meio rural, com renda mensal de até R$ 218 por integrante
Reunião para discutir o tema foi realizada na terça (21), em Brasília
Em 2023, a CNI contabilizou 85 entraves às exportações nacionais contra 77 no levantamento do ano anterior